Fazer a sua própria comida para o bebê é mais fácil do que você imagina e menos dispendioso do que comprar comida pré pronta. Também é conveniente porque você pode usar produtos frescos, grãos e carne que você tem em mãos. O melhor de tudo, você sabe exatamente com o que está alimentando seu bebê.

Alimentação Saudável / Foto: Shutterstock

A comida para o bebê “caseira” pode ser tão simples quanto uma versão “amassada” do que você está servindo ao resto de sua família. Isso também deixa seu bebê acostumado a comer a mesma comida que todo mundo, uma estratégia que poderia ser recompensada durante os anos exigentes da criança.

Escolha o equipamento certo

Você precisará de uma ferramenta para moer os alimentos para seu bebê. As possibilidades variam de um equipamento elétrico a um bom garfo adequado.

Compre os melhores produtos

Escolha apenas as frutas e legumes mais frescos para fazer comida para bebê e tente usar o que você compra em um dia ou dois. Quando o alimento fresco não está disponível, o congelado é uma boa opção.

Papinha Caseira / Foto: Shutterstock

A Academia Americana de Pediatras recomenda que você espere até que seu bebê tenha pelo menos de 4 a 6 meses antes de começar os sólidos. Se você optar por começar mais cedo, a AAP recomenda que você não alimente uma criança com menos de 3 meses de idade com alimentos que tendem a ser ricos em nitratos – como beterraba, cenoura, espinafre e abóbora.

Preciso me preocupar com nitratos?

Não. Os nitratos são produtos químicos encontrados na água, no solo e em alguns alimentos, como espinafre, beterraba, cenoura, vagem e abóbora. A Academia Americana de Pediatria (AAP) adverte que os pais não devem alimentar esses vegetais para bebês com menos de 3 meses de idade, porque a concentração de nitratos neles pode ser tóxica para bebês jovens.

No entanto, isso não deve ser uma preocupação, porque a AAP não recomenda alimentos sólidos para bebês até os 4 a 6 meses. Nessa idade, o sistema digestivo de um bebê amadureceu o suficiente para lidar com nitratos em vegetais, e esses alimentos, com seus nutrientes, podem estar no cardápio.

Dicas de preparo e armazenamento:

  • Sirva a comida para o bebê não mais quente que a temperatura do corpo.
    Tenha cuidado ao aquecer as refeições no microondas. Os microondas aquecem de forma irregular e podem criar “pontos quentes” – áreas dos alimentos que são muito mais quentes do que outras – por isso, mexa bem os alimentos e deixe descansar por alguns minutos antes de servir.
  • Distribua apenas a quantidade de comida que você acha que seu bebê vai comer nessa alimentação. Você precisará jogar o que sobrou porque a saliva do bebê entrará na mistura e facilitará o crescimento das bactérias na comida.
  • Não adoçar a comida do seu bebê. Os bebês não precisam de açúcar extra. E nunca use mel, que pode causar botulismo – uma forma potencialmente fatal de intoxicação alimentar – em bebês.
Cuidado / Foto: Shutterstock

Use temperos. Apesar da tradição de alimentar os bebês, eles podem tolerar e desfrutar de diferentes sabores.

Refrigerar sobras em um recipiente e usá-los dentro de alguns dias. Você também pode congelar as sobras em bandejas de cubos de gelo ou dispositivos similares. Depois que os cubos estiverem congelados, remova-os e guarde-os em sacos plásticos para congelamento. Frutas e vegetais congelados dessa forma duram de seis a oito meses. Carne e peixe duram de um a dois meses.

Ficou alguma dúvida? Chama a gente no Whatsapp ou no chat do nosso site, a gente esclarece tudo pra você 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *