Se você nunca foi mãe e está agora prestes a passar por esse momento, é normal (e nós compreendemos) que você esteja no meio de um processo de sentimento relacionado a dúvida sobre como ser uma boa mãe.

Pensando que essa é uma dúvida comum entre as mães de primeira viagem, pensamos em tratar hoje sobre algumas dicas relacionadas em como ser uma boa mãe, porém essa questão é extremamente subjetiva e pessoal, dependendo diretamente do quanto você define a sua disposição para se doar nessa relação entre mãe e filhos.

Podemos dizer que não tem uma fórmula mágica sobre como ser uma boa mãe, e é justamente por esse motivo que as mães que nunca tiveram essa experiência acham que devem ser perfeitas. Consequentemente, a relação construída entre os dois não é algo real ou espontâneo.

É necessário ter em mente que o ponto principal dessa relação é o amor, o carinho que você oferece e o qual presente você está. Isso sim deve ser visto como obrigatórios sempre. Por mais que pareça clichê, essa deve ser a sua realidade.

como_ser_uma_boa_mãe

Ao falar sobre um sentimento obrigatório, o nosso ponto não é dizer que isso tenha que ser algum tipo de fardo para você, pelo contrário. Os requisitos que citamos precisam estar presentes na rotina que você tem com os seus filhos.

O resultado disso é uma relação em que existe respeito e, principalmente, amor mútuo. O seu objetivo como mãe pode ser totalmente voltado para o ganho de confiança com os seus filhos, e não construir uma personalidade que não é sua na realidade.

Inclusive, é importante ressaltar que antes da chegada desse filho, você já possui uma personalidade, e claro que todos nós temos alguns defeitos, mas você deve manter a sua essência, não procurando esconder coisas do seu filho para evitar que ele descubra a verdade.

A adolescência, por exemplo, vai servir perfeitamente para que vocês construam uma relação de amizade, e não que eles tenham medo de você.

Todos nós já fomos adolescentes um dia e sabemos como essa fase é difícil, principalmente porque os pais querem evitar que os seus filhos passem pelos mesmos perrengues.

Mas, se você começar a limitar a liberdade dos seus filhos, vocês se tornarão cada vez mais distantes.

Como ser uma boa mãe?

Não crie a imagem de uma heroína para o seu filho ou filha

Infelizmente a primeira dica pode ser difícil para a maioria das mães, já que nós fomos ensinadas a criar uma certa imagem de ser heroína. Mostrar para os nossos filhos muito sacrifício teve de acontecer para tê-los é o mesmo dizer que nós gostaríamos de outra vida, e com certeza os seus filhos não vão gostar de ouvir isso.

Quando nós somos ainda crianças, não possuímos a maturidade de compreender como as coisas funcionam, e as mães (e pais também) são o primeiro exemplo de nossas vidas, e somente por esse motivo, achamos que o melhor a ser feito é passar uma figura de heroína (que passou por muitos sacrifícios na vida).

Ocorre que, no geral, as mães sentem a necessidade de dizer que um dia precisaram passar por diversas coisas até conseguir criar os seus filhos. E, no fundo, isso não apresenta nada de errado, sendo na verdade necessário mostrar para as crianças que ser uma pessoa lutadora, bem como correr atrás dos seus objetivos, porém isso é diferente de justificar o seu lugar hoje com sacrifícios.

O importante é que você deixe claro para o seu filho que a chegada dele foi uma benção, ou até mesmo uma dádiva para sua vida, depende de suas crenças.

Fale que as batalhas ao longo da vida são importantes, mas que você não precisou passar por um milhão de problemas só para ter ele.

Caso essa seja a imagem que você esteja passando, o seu filho pode se sentir aflito com essa situação, e começar a achar que você não queria ter um filho, portanto é melhor que você evite essa imagem de heroína e seja uma batalhadora.

Lembre-se de ser real e você mesma, pois como exemplo de uma figura feminina na vida dessa criança, é necessário demonstrar que tudo seu é real.

As suas batalhas foram necessárias para você ser quem você é hoje, mas não para o nascimento do seu filho. Essas questões são totalmente diferentes.

Deixe de lado a preocupação em ser perfeita

Agora nós queremos te contar um segredo, mas isso fica só aqui entre nós: não tem nenhuma mãe que seja perfeita.

Você, como todo mundo, tem os seus defeitos sim, bem como os seus momentos de raiva ou até descontrole, e não tem nenhum problema em admitir que isso. Não ser perfeita é natural, pois no final das contas ninguém é, então pare de carregar esse fardo com você.

Converse com o seu filho quer você é uma mãe real, tem os seus defeitos, mas também corre atrás de tudo para o bem estar dele, e deixe claro que ele é a sua prioridade na vida.

Porém, isso geralmente acarreta um outro problema, que seria a transferência da sua vida completamente para o seu filho. Tenha em mente de que você tem uma vida, e ela existe além da relação com seu filho.

Procure conciliar essas duas coisas ao mesmo tempo e mostrar a criança que todo mundo comete erros, mas o que vai diferenciar uns de outros é a reação que temos após isso.

Como ser uma boa mãe? Ser uma mãe real só vai trazer benefícios ao seu filho, afinal essa qualidade não vai criar nenhuma amarra na cabeça dele, pensando que todas as pessoas têm a necessidade de serem perfeitas, da mesma forma que você passou a elas.

Ele tem que aprender em casa que todos erram em alguma hora da vida e que não tem a possibilidade de alguém ser completamente perfeito em tudo que faz, contudo, você pode tentar ser a pessoa mais agradável e respeitosa que puder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *